JA EM SOROCABA GRAVACAO DVD ESTER REIS PREPAROS ANSIOSA ESTAMOS 

FOI  LINDO AGIR DE DEUS NAQUELE LUGAR CONTAGEM REGRESSIVA GRAVAÇÃO DO DVD ESTER REIS FOI TOP



Não permitam que o casamento caia na rotina. A mesmice é inimiga da boa convivência. Sair para passear, jantar ou almoçar fora, visitar parentes ou amigos, servir a Deus com responsabilidade e trabalhar são detalhes importantíssimos para um bom viver. Nunca esqueçam que o Senhor Jesus continua de mãos abertas para abençoar todos quantos o buscarem de coração. Com amor
Quem abusa do álcool também demora a se casar e, depois da união consolidada, divorcia-se mais rápido. Essa é a conclusão de um estudo desenvolvido pela Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, que analisou o consumo de bebidas e as relações matrimoniais de mais de 5 mil pessoas. Segundo o advogado Gustavo Bassini, vice-presidente da Associação Brasileira dos Advogados de Família (Abrafam), o abuso de álcool e outras drogas é um problema também para os casais. “É um dos principais motivos de divórcio. E, nos últimos quatro ou cinco anos, percebi um aumento de até 300% em casos desse tipo”, diz. Bassini conta que 25% dos casos de divórcio atendidos em seu escritório de advocacia estão relacionados ao consumo abusivo de álcool e drogas por um dos parceiros. Em 80% das ocorrências, o parceiro problemático é o homem. Em situações como essa, a separação acaba em briga judicial. “Após várias tentativas de curar o cônjuge e internações em clínicas, a mulher acaba desistindo do marido.” Então, entra com o pedido unilateral de divórcio e, muitas vezes, a outra parte nem responde ao processo. “Nessa fase, a pessoa não tem interesse em nada a não ser consumir a bebida”, destaca. “O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora, e todo aquele que neles errar nunca será sábio.” Provérbios 20:1. A melhor coisa a fazer então é evitar o consumo excessivo de álcool. Caso já tenha virado dependência o melhor é procurar ajuda profissional e orar. Com amor, Casamento Feliz
Não use o silêncio para frustar ainda mais o seu parceiro. Se você exita em responder, explique porque. Seja sincero, verdadeiro e procure a hora certa, mas não adie muito. Com amor, Casamento Feliz
1 - Tristeza quase habitual e frieza no trato comum. 2 - Frequente mau humor e tensão. 3 - Desinteresse pelas coisas do outro, falta de delicadeza, atenção ou ternura. 4 - Clima de desconfiança. 5 - Mais confiança em terceiros do que no próprio cônjuge. 6 - Nervosismo. 7 - Agressividade mútua. 8 - Desavenças e discussões frequentes. 9 - Por-se, mutuamente em evidência e ridículo. 10 - Vida superficial, evasões e desculpas (bebidas, drogas e vícios). 11 - Vida de egoísmo e pecado. 12 - Vida espiritual individualista. 13 - Apostolado pessoal em conflito com outro cônjuge. 14 - Falta de entusiasmo e de fé no amor e no casamento.
CONCLUSÃO O casamento cristão é um mistério, tão sublime como a relação entre Cristo e a Igreja, cujo fundamento é a graça e o amor. Como cristãos, não podemos nos deixar influenciar pelos valores que tentam sustentar o casamento, tais como o individualismo romântico e a sexualidade descompromissada. Um casamento genuinamente cristão aceita o cônjuge com as suas diferenças, e está disposto a sacrificar-se pelo outro, assim como Cristo amou e se entregou a Sua Igreja. 
3. NÃO SÓ COM PALAVRAS, MAS COM AMOR SACRIFICIAL A supervalorização do sexo na sociedade contemporânea tem causado muitos males ao casamento. O sexo foi criado por Deus, não apenas para reprodução, mas também para o prazer. O problema é que ele tem sido usado indiscriminadamente, e às vezes, confundido com amor. A expressão “fazer amor” tornou-se sinônima de fazer sexo, ainda que fora dos padrões bíblicos. Deus criou o sexo para a realização dos casais, e este é por ele estimulado (I Co. 7.1-5), mas ninguém deve basear o casamento exclusivamente no sexo. A palavra-chave do casamento, e o seu principal fundamento, é o amor. Isso não diz respeito a qualquer tipo de amor, mas ao agape – o amor sacrificial. Um casamento somente alcançará maturidade quando os cônjuges dependerem menos do eros – o sexo, e mais do agape – o amor desinteressado. É o amor agape que supera as incompatibilidades, pois, definitivamente, o casamento é uma composição de pessoas incompatíveis, ainda que essas possam ser atenuadas se os jovens forem sábios antes da decisão de dizer “sim” (Gn. 24). As imperfeições ficam evidentes antes mesmo da celebração do casamento. Aqueles que dizem “sim” devem estar cientes que precisam fazer concessões. E para ser mais realista, dificilmente as mudanças acontecerão de forma significativa depois do casamento. Por isso, como se costuma dizer aos jovens, “abram bem os olhos antes do casamento, mas feche-os um pouco depois de casados”. Isso porque o casamento é um pacto de sujeição, de disposição para viver não para si mesmo, mas para o outro (Ef. 5.22-25). Jesus é o maior exemplo, tendo em vista que não agradou a Si mesmo (Rm. 15.2,3). O casamento é plano de Deus, e um glorioso ministério, mas o alvo central não é a busca da felicidade. A meta do casamento não é a felicidade, ainda que essa, de uma maneira misteriosa, possa ser encontrada, mesmo na adversidade. O casamento é um ambiente de amor, no qual atitudes de paciência, benignidade, sacrifício, entrega e perdão são manifestas, elementos do fruto do Espírito (Gl. 5.21,22; I Co. 13.4,5). Dizer que se ama não é difícil, e mostrar interesses pelos outros para “fazer amor” também, mas a base cristã para o casamento é o amor-agape, que não se revela apenas em palavras, mas, sobretudo, em obras e em verdade (I Jo. 3.18).
2. SEM GRAÇA, É UMA DESGRAÇA Diante das adversidades, o casamento precisa de graça, caso contrário, permitam-me o trocadilho, se transformará em uma desgraça. Quanto mais espirituais forem os cônjuges, maior será a propensão de andarem no Espírito, de não satisfazerem as concupiscências da carne (Gl. 5.17). Um casamento centrado apenas no eu, nos interesses individuais de apenas um dos cônjuges, resulta em sofrimento para o outro. Há uma tendência, alimentada pela mídia, de fazer com que as pessoas passem a vida inteira procurando uma alma gêmea. Por causa disso, muitos casamentos se desfazem, pessoas passam a vida inteira na busca pelo príncipe encantado. Essas pessoas que querem encontrar uma alma gêmea põem o foco demasiado em seus desejos, entram nas relações querendo sempre autossatisfação, que resulta em frustração (Tg. 4.1-3). Essa é uma tendência da natureza caída, que fará de tudo para minar o casamento, já que tem o egocentrismo como base. Se essa lei do pecado não for controlado pelo Espírito, a vida conjugal poderá ser arruinada (Rm. 7.21-23). Ao invés de sempre querer julgar o outro, o cristão deve antes olhar para si mesmo (Mt. 7.4,5). Muitos maridos e esposas encontram facilmente defeitos nos seus cônjuges, mas têm dificuldade de fazer o mesmo quando olham para eles mesmos. É bom lembrar que não conhecemos os outros, nem mesmo a nós mesmos em completude, apenas em parte (I Co. 13.12). Por isso, ao invés de julgar o outro, precisamos aprender antes a nos avaliar, isso porque se julgássemos a nós mesmos não seríamos julgados, mas quando somos julgados pelo Senhor, é para não sermos condenados com o mundo (I Co. 11.32). Quando abordado pelo Senhor, Adão quis, imediatamente, colocar a culpa sobre a sua esposa, fugiu da sua responsabilidade pela desobediência (Gn. 3.12). Davi precisou de um Natã para reconhecer o seu pecado e se voltar para o Senhor (II Sm. 12.13). Portanto, o casamento cristão deve basear-se na graça – charis em grego – que é um favor imerecido. Fomos alcançados pela graça e misericórdia de Deus, por isso devemos agir de igual modo em relação ao nosso cônjuge (Lc. 6.36; Tt. 2.11-14). Jesus compadeceu-se das nossas fraquezas, por isso devemos fazer o mesmo (Hb. 4.15), e lembrar que a misericórdia poderá triunfar sobre o julgamento (Tg. 2.13). Para o bem do casamento, todo cristão deve fortificar-se na graça que está em Cristo Jesus (II Tm. 2.1).
1. O CASAMENTO CRISTÃO Existe muito idealismo em relação ao casamento, até mesmo entre os cristãos, na maioria das vezes isso se concretiza em um romantismo exacerbado, que, ao invés de ajudar, atrapalha a relação conjugal. O casamento cristão é a união de duas pessoas, um homem e uma mulher, que não são perfeitas, por isso, precisam administrar cada situação, principalmente as mais adversas. Não podemos esquecer que existe uma propensão à carnalidade no ser humano, tanto no homem quanto na mulher (Gl. 5.17), por isso, ambos carecem de arrependimento, e sobretudo, das orientações do Senhor Jesus (Lc. 5.31,32). O casamento cristão, que está pautado em Cristo, busca, na Bíblia, e não nos padrões midiáticos, seu alicerce de sustentação (Jo. 14.6). Em Ef. 5, Paulo destaca que Cristo é a referência, não a sociedade, para as atitudes no casamento. As esposas devem submeter-se ao marido, “como ao Senhor” (v. 22). Os maridos, por sua vez, devem amar a esposa “como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” (v. 25). Os maridos devem cuidar de sua esposa “como também Cristo o faz com a igreja” (v. 29). Em todas as circunstâncias, devemos considerar que se trata de um mistério, que está diretamente relacionado a Cristo e à igreja (v. 32). É um equívoco da nossa sociedade tentar fundamentar o casamento no sexo e no romantismo. Mesmo na igreja muitos cristãos foram contagiados por essa tendência. Evidentemente o sexo é necessário, e importante dentro do matrimonio (Hb. 13.4), mas não é uma base para o casamento. As pessoas envelhecem, a beleza física se esvai, o fervor sexual arrefece. O romantismo não deve ser desconsiderado, as palavras afáveis contribuem para o crescimento conjugal, mas nem só de romantismo vive o casamento. As pessoas podem perder o bom humor de vez em quando, principalmente nos momentos difíceis, quando filhos adoecem, e as contas chegam à caixa do correio. O casamento cristão é composto por um casal de pessoas pecadoras, uns mais ou menos espirituais, que são desafiados a permanecerem juntas, até que a morte as separe (I Tm. 1.15, 16).
Ef. 5.25 – Leitura Bíblica: Ef. 5.22-28. 31.33 INTRODUÇÃO Conforme temos estudado ao longo das primeiras lições, o casamento cristão está fundamentado na Bíblia, a Palavra de Deus. Na aula de hoje trataremos, especificamente, a respeito das bases que sustentam o casamento. A primeira delas é a graça, o favor imerecido, a disposição de aceitar o outro, com suas diferenças e particularidades. E não com menor importância, o amor que se sacrifica, que não busca apenas os interesses individuais.
A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher” (1 Co 7.3,4). Por que há tantos casais infelizes sexualmente no casamento? A insatisfação sexual é um indicador sensível de que o plano de Deus para o casamento está desalinhado. Um dos propósitos de Deus para com o sexo é despertar e satisfazer no homem e na mulher, a fome de intimidade. Sexo não é apenas um incidente no casamento. Embora não tenha sido criado para ser o cerne da intimidade, o sexo é a música do matrimônio. É comum ouvir mulheres dizendo: “Se o meu marido não precisasse de sexo, eu passaria muito bem sem”. Essa maneira de pensar revela alguma disfunção sexual que precisa ser tratada, porque o normal é gostar e sentir falta da prática do ato sexual no casamento. Muitas vezes, a causa do problema, não está na mulher e sim no homem. Quando o casal descobre a causa da disfunção ou do desajuste sexual, há mais facilidade na busca pela solução. Que o nosso bom Deus continue nos abençoando sempre
Provérbios 27:7 - “A alma farta pisa o favo de mel, mas para a alma faminta todo amargo é doce”. Neste estudo o Senhor nos alerta para a boa relação sexual no casamento. Saibam que nenhuma outra causa tem levado homens e mulheres ao adultério, como a insatisfação sexual. A Bíblia é muito clara quando diz que uma “alma satisfeita ou farta” despreza o favo de mel, ou seja, quando o marido e a esposa saem de casa com as necessidades da alma, inclusive sexuais satisfeitas, fica bem mais fácil resistir todas as possíveis tentações do maligno. Quando o homem e a mulher são infelizes sexualmente no casamento, os dois tornam-se presas fáceis do diabo. Quando Paulo escreveu sua carta para a igreja de Corinto, ele também deixou claro que não basta ter uma mulher ou ela um homem, é necessário que os dois sejam felizes sexualmente, por isso ele insiste: “O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.
1) Ter paz no lar é mais importante do que ter a razão.
 2} Não passe vários dias sem dizer "Eu te amo". 
3) Ás vezes as mulheres não querem uma solução, mas sim, querem ser ouvidas.
 4) Seja delicado, sempre. 
5) Lembre-se das pequenas atenções. 
6) Lembre-se da relação sexual no casamento. É muito importante. Não fiquem longos períodos sem ter relação, pois isso prejudica ambos. Com amor, Casamento Feliz
Pode-se sentir certa nostalgia de início, mas ganhará uma nova energia e vontade de amar ao recordar esses momentos. Lembre-se que momentos difíceis sempre haverá, mas são necessários para fortalecer o amor. Com sabedoria e paciência eles serão enfrentados e vencidos. Com amor, Casamento Feliz
IGREJA APOSTOLICA PLENITUDE DO TRONO DE DEUS 

Aqui estao todos meus videos se escrevem no meu canal do youtube












































Este livros vai te ajudar muito sempre leia livros eu indico para todos .Estes sao meus pastores Ingrid  Duque e Apostolo Agenor Duque ,aonde aprendi a amar,perdoa,e cuidar ,luta pelo seu casamento nunca disista seus sonhos serão realizados








No livro de Isaias capítulo 32, versículos 9 aduz o seguinte: “Levantai-vos, mulheres, que estais sossegadas, e ouvi aminha voz; e vós filhas, que estais tão seguras, inclinai os  ouvidos às minhas palavras”.
Ora podemos observar que neste versículo Deus  manda as mulheres se levantarem, ou seja, se despertarem porque Deus conta conosco Mulher!
Muitas pessoas não têm conhecimento, mas a mulher é uma arma secreta nas mãos de Deus. Se você mulher soubesse disso, você jamais se desviaria dos caminhos do Senhor.
Jesus veio na terra através de uma mulher e não de um homem e  é por isso que temos algo especial. Somos conquistadoras e Deus nos usa e nos usará de uma forma diferente e especial.
Hoje a mulher é coluna em suas casas, é ela que une as pessoas em seu lar, então você Homem pare de maltratá-las!
A mulher coloca sua casa, sua igreja, seus problemas embaixo de seus joelhos, embaixo de suas orações, para ter tudo estruturado. E é você mulher que busca que ora e que coloca Deus em primeiro lugar em sua vida.
Deixe Deus te usar mulher, seja um instrumento valoroso nas mãos de Deus!
Vocês já devem ter percebido que sempre é a mulher que chora junto com o filho, com o marido, então minha amada levante a tua cabeça e comece a marchar, pois Deus conta com você!
Devemos sempre estar posicionadas, atentas a voz de Deus, pois Ele vai fazer algo contigo que ninguém vai acreditar, portanto, seja obediente, largue a fofoca, o amante, deixe de ser assanhada e levanta-se porque você já foi escolhida! Veja o exemplo de mulher que foi Maria a escolhida para carregar Jesus em seu ventre, mesmo tendo que pagar um alto preço, pois foi humilhado-falada e mesmo assim permaneceu fiel e seguiu adiante ouvindo apenas a voz de Deus.
Esteja preparada, posicionada, atenta, seja obediente e busque  ao Senhor para que você venha a ser transformada na terra.
Não deixem o inimigo te parar, matar os teus pensamentos, sonhos, desejos, pois se você desistir sua promessa também deixará de existir e você irá morrer espiritualmente. Portanto, valorize-se, você é especial, você é amada pelo Deus Altíssimo. Não desista pois você mulher faz parte do  DNA de Deus.
***LIVRO OS 10 MANDAMENTOS DA MULHER VIRTUOSA***

Se conhecendo em meio a tempestade

A tempestade não vem para parar você,
nem para afogá-lo, e muito menos
para levá-lo a sair do barco,
mas para fazer você ouvir a voz do Senhor e conhecer a si mesmo.
É na tempestade que você se conhece. 
É na tempestade que você vê do que é capaz . 
"Texto: Palavras em Amor II"
Bispa Ingrid Duque 




mapa

seja bem vindo voltem sempre